Porto Velho/RO, 07 Janeiro 2020 21:09:17
    Geral

    Em meio à crise EUA x Irã, brasileiros pedem #BolsonaroFicaCalado

    Em memes, os internautas usaram a criatividade para mostrar preocupação com um possível apoio do presidente à República Islâmica

    A- A+

    Publicado: 03/01/2020 às 09h30min

    O ano começou marcado por tensões entre Estados Unidos e Irã. Agora, a preocupação dos brasileiros é com a manifestação do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), sobre o impasse estrangeiro.

    Nas redes sociais, há até quem cogite uma terceira guerra mundial. E a pressão fica ainda maior ao imaginar o Brasil fazendo parte desse conflito. Por isso, os internautas pedem: #BolsonaroFicaCalado.

    Os assuntos mais comentados do momento, nesta sexta-feira (03/01/2020), são Irã e Estados Unidos, Bolsonaro Fica Calado e Terceira Guerra Mundial. Apesar das circunstâncias conflituosas, os internautas não deixaram barato e montaram um festival de memes no Twitter.

    Entenda
    O conflito entre EUA e Irã começou após a morte do comandante das Forças Quds, uma unidade especial da Guarda Revolucionária do Irã, o general Qassem Soleimani, em um bombardeiro no Aeroporto Internacional de Bagdá. O presidente norte-americano, Donald Trump, confirmou que a morte foi ordenada por ele.

    Em meio às revelações, o líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, e o presidente iraniano Hassan Rouhani falaram em vingança.

    O governo americano diz que matou Soleimani porque ele “estava desenvolvendo ativamente planos para atacar diplomatas americanos e membros do serviço no Iraque e em toda a região”.

    A morte de Soleimani marca uma forte escalada no impasse entre Washington e Teerã, que passou por diversas crises desde que o presidente Donald Trump se retirou do acordo nuclear de 2015 e impôs sanções ao país persa.

    O assassinato, e uma eventual retaliação do Irã, podem acender um conflito que envolve toda a região, colocando em risco as tropas americanas no Iraque, na Síria e em demais territórios.

     

    Fonte: Metrópoles



    Deixe o seu comentário