porto velho - ro, 25 Maio 2019 13:26:20
Capital

Moro fala da lei anticrime do ministério da Justiça e Segurança

Na manhã desta terça-feira (16), o Ministro de Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, esteve em Porto Velho onde participou do..

Por Redação
A- A+

Publicado: 16/04/2019 às 11h29min | Atualizado 16/04/2019 às 14h16min

Se preferir, ouça a versão em áudio

Na manhã desta terça-feira (16), o Ministro de Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, esteve em Porto Velho onde participou do lançamento do pacote de medidas de anti-corrupção no estado.

Depois de ver a apresentação do governo do Estado de como a segurança pública estadual pretende trabalhar para a diminuição da criminalidade e no combate à corrupção, Moro falou do Projeto Anticrime proposto pelo governo federal e que tramita no Congresso Nacional. Dentre os assuntos aborados pelo Ministro estiveram caixa dois, compra de voto, criminalização da “Lavagem Eleitoral, extensão da punição aos doadores, inclusive responsáveis por doações de pessoas jurídicas, e aos partidos, entre outras propostas.

De acordo com o ministro, “é preciso criar leis que possam punir, porque nada adianta investigar se não existe instrumento de punição. Em outros países que controlam e combatem a corrupção, a punição é em primeira instancia”, disse.

Sobre o índice de criminalidade, Sérgio Moro revelou que o Brasil tem estatísticas de guerra civil com índices altíssimos de violência. “Temos que aumentar a eficácia e tirar o criminoso do convívio social, por isso defendo punição já na primeira instância”.

Numa análise rápida ao projeto apresentado pelo governo do Estado, Moro parabenizou a iniciativa do Governador Marcos Rocha (PSL) e sugeriu efetividade nas ações, pois sabe que a luta contra a corrupção é bastante árdua e cheia de percalços. “Rondônia está de parabéns pela iniciativa mas o governo do Estado vai precisar de um foco muito grande para combater a corrupção e a criminalidade. O estado está dentro da proposta do governo federal de reduzir a criminalidade e a corrupção e terá o apoio no que for necessário para a sua eficácia”.

Numa escala de importância entre a corrupção e a criminalidade, Moro deixou claro que os dois assuntos preocupam e prejudicam a sociedade brasileira, mas destacou que os crimes contra a vida merecem prioridade de tratamento no que diz resultado ao combate e aos julgamentos dos criminosos.

“A corrupção é extremamente grave, mas homicídios e feminicídios são ainda mais graves. Por isso propomos que os julgamentos do tribunal do juri ocorram em tempo curto”, disse Moro.

O pacote propõe endurecimento para criminalidade mais grave para o criminoso habitual ou profissional, crimes contra sistema público (corrupção e peculato), e o crime de assaltos com armas de fogo. “Esses crimes são perigosos e precisam de punição rigorosa em regime fechado”, finalizou.



Escreva um comentário