porto velho - ro, 07 Outubro 2019 23:06:22

    Aldo José

    coluna

    Publicado: 26/02/2019 às 11h32min

    A- A+

    Qual a diferença entre papanicolau, colposcopia e colpocitologia?

    No papanicolau coleta-se uma fração de células do colo uterino, que posteriormente é analisada e a depender do resultado, a paciente é..

    Foto: Gazeta do Povo

    No papanicolau coleta-se uma fração de células do colo uterino, que posteriormente é analisada e a depender do resultado, a paciente é orientada para realizar colposcopia, em que o médico averigua o colo do útero com uma lente de aumento, e de acordo com isso sugere o diagnóstico, daí realiza-se biópsia para maior esclarecimento.
    Já a colpocitologia é a junção do papanicolau com a colposcopia.

    O que significa NIC I?

    NIC I são pequenas alterações – em grande parte transitórias – que ocorrem no colo do útero causadas pelo HPV. No período de dois anos pelo menos 50% das pacientes conseguem eliminar essas alterações sem necessidade de tratamento, mas isso não exclui a realização de acompanhamento com ginecologista.

    Quais resultados podem ser encontrados no exame de papanicolau?

    Há as lesões de alto grau, em que a paciente é orientada a realizar colposcopia sem a repetição do exame de papanicolau.

    Há também resultados indeterminados, e a depender disso, a paciente é orientada a repetir o exame após seis meses, ou realizar colposcopia ou ultrassom.

    Lesões de baixo grau no papanicolau na maioria das vezes são alterações transitórias.

    Pacientes com primeiro exame de lesão de baixo grau são orientadas a repetir o exame depois de seis meses, persistindo a alteração, deve-se procurar um serviço de colposcopia para complementar o diagnóstico. Daí a importância de consultar um ginecologista para avaliar o resultado do exame e determinar a melhor conduta.

    Quem fez histerectomia total ou subtotal deve fazer o papanicolau?

    Pacientes histerectomizadas, ou seja, que retiraram o corpo e o colo do útero, por conta de alterações benignas – como mioma ou sangramento menstrual intenso que não teve controle com o uso de medicação –, e realizaram exame prévio de papanicolau com resultado negativo, além de não ter histórico de tratamento de alterações no colo do útero por lesões de alto grau, são excluídas da realização do papanicolau.

    Não preenchendo esses critérios, a paciente deve realizar o exame de papanicolau periodicamente.

    Pacientes que realizaram histerectomia subtotal, isto é, retiraram o corpo mas não o colo do útero, são orientadas a realizarem papanicolau periodicamente, assim como as que não realizaram histerectomia.

    Veja mais em: https://www.leetdoc.com/br/


    Escreva um comentário