Porto Velho/RO, 14 Novembro 2020 06:00:21

JoséLuiz

coluna

Publicado: 14/11/2020 às 06h00min

A-A+

Queda na produção! 

Os primeiros levantamentos realizados pela Secretaria de Agricultura (Seagri) de acordo com o secretário Evandro Padovani, nesta safra de..

Os primeiros levantamentos realizados pela Secretaria de Agricultura (Seagri) de acordo com o secretário Evandro Padovani, nesta safra de grãos em Rondônia, pela ausência de chuvas na época do plantio a colheita de soja deverá sofrer uma queda em torno de 20%. O café também deverá ter uma redução próxima dos 30%, mantendo em alta as áreas irrigadas. Com as lavouras de soja com o plantio atrasado e reduzindo a colheita o milho safrinha também será afetado, pois ele preenche as janelas após a colheita da soja, antes do vazio sanitário. 

Diplomacia 

Para empresário, Adélio Barofaldi, os produtores rurais não são os responsáveis pelo desmatamento e queimadas na Amazônia. Eles na verdade ocupam e produzem nas áreas que já foram abertas no passado, preservando o meio-ambiente com todas as tecnologias que o agronegócio exige. Em entrevista ao programa “Campo e Lavoura” na Rede TV que vai ao ar no sábado das 7:00 às 8:00, Adélio Barofaldi, defendeu o dialogo e diplomacia, entre as autoridades brasileiras e americanas na defesa do meio-ambiente na Amazônia. 

US$ 20 bilhões  

O anuncio pelo futuro presidente americano, Joe Biden criando um fundo no valor de US$ 20 bilhões para preservar o meio-ambiente, incluindo Amazônia, acendeu o sinal de alerta aos representantes do agronegócio na região de que podem surgir pressões externas, visando conter o avanço das lavouras de grãos e produção de bovinos. O Secretário de Agricultura, Evandro Padovani defende a formação de uma comissão composta pelos senadores, deputados, governadores e representantes do setor produtivo da região para dialogar e encontrar uma saída sem prejuízos aos produtores rurais e nem ao meio-ambiente. 

Moderação! 

Frisando que o momento exige moderação, Samuel Almeida diretor técnico do Sebrae Rondônia defende o agronegócio na Amazônia como fator de desenvolvimento econômico e social, sem fugir do viés ambiental. Na opinião dele, se faz necessário aguardar para se ter uma posição mais clara do que deseja o novo governo americano, lembrando que o Sebrae tem um papel importante na área do agronegócio na região amazônica. Na verdade, o tema é delicado e exige muito jogo de cintura, entre as partes envolvidas. 

Criminosos! 

Com opinião formada, o presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Rondônia (Faperon) Hélio Dias, afirma que existe um grupo de criminosos no arco Norte, que na época das secas provoca queimadas e depredação da natureza colocando a responsabilidade sobre os ombros dos produtores rurais, espalhando essas noticias para o mundo. Ele entende, que se o governo americano quer preservar a Amazônia, que pague pelo carbono que as nossas matas geram. A essa altura, uma coisa é certa: esse debate vai longe. 

Finalizando 

No domingo (15) temos eleições para prefeitos e vereadores. Escolha entre os piores os melhores, sua opção de votos é importante, pois sem o sufrágio não existe democracia. Não esqueça, a máscara evitando aglomerações. Bom final de semana e boa leitura!


Deixe o seu comentário

sobre José Luiz Alves

Colaborador do Diário da Amazônia - José Luiz Alves, é jornalista. Apresenta aos sábados das 6h às 8h na Rede Tv Rondônia! o programa Campo e Lavoura, com informações ao homem do campo e produtores rurais, em cadeia com seis emissoras de rádios para todo o Estado de Rondônia.

Arquivos de colunas