porto velho - ro, 22 Agosto 2019 12:50:16
Capital

Ônibus da linha Candeias do Jamari são fiscalizados

Durante a operação a Agero aplicou questionários nos ônibus perguntando aos usuários sobre a qualidade, horário e segurança dos veículos.

Por Assessoria
A- A+

Publicado: 21/12/2017 às 06h35min

Os ônibus foram alvo de fiscalização para avaliar questões de segurança dos passageiros (Foto: Jota Gomes/Diário da Amazônia)

Com o objetivo de fiscalizar as condições dos veículos de transporte coletivo da linha Candeias que circulam em Porto Velho, a Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados ao Estado de Rondônia (Agero) realizou uma operação na terça-feira (19), envolvendo todas as empresas de ônibus que fazem o trajeto.

De acordo com Marcelo Borges, presidente da Agero, a articulação da operação envolveu quatro equipes que foram posicionadas em pontos estratégicos: uma na rodoviária de Porto Velho, outra no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), uma terceira na garagem dos ônibus em Candeias e ainda uma equipe de inteligência que trabalhou identificando os ônibus que estavam fazendo desvio de rota para evitar a fiscalização. “Paramos ônibus, vans, veículos de fretamento, alguns táxis sob suspeita de transporte ilegal, exigimos a documentação dos veículos e empresas, fizemos o levantamento da situação geral do veículo, regularidade dos tacógrafos, realizamos vistorias, verificamos cadeiras quebradas, assoalhos enferrujados, vidros soltos, situação do motor e a situação das garagens”, informou o presidente.

Marcelo Borges antecipou que o resultado da operação evidencia que os veículos que fazem o transporte de passageiros entre Porto Velho e Candeias do Jamari estão em péssimas condições e precisam de uma profunda reformulação.

Durante a ação, uma empresa teve todos os seus ônibus recolhidos porque não ofereciam segurança aos passageiros. A Polícia Rodoviária Federal abordou oito veículos e todos eles foram multados, além de retenções ainda na garagem, advertências e recolhimentos. Conforme informações dos usuários, a fiscalização na garagem gerou atraso de 30 minutos na saída do primeiro ônibus.

Com relação aos passageiros que utilizam a linha até Triunfo (tendo em vista que a empresa teve todos os ônibus recolhidos e apreendidos) a Agero estudará a possibilidade de habilitar outra empresa para cobrir a rota ou habilitar as empresas que já existem para transferir a linha.

Durante a operação a Agero aplicou questionários nos ônibus perguntando aos usuários sobre a qualidade, horário e segurança dos veículos. “Fizemos também trabalhos de fiscalização descaracterizados pagando passagem, indo no ônibus e conversando com passageiros”, disse Borges, destacando que as reclamações dos passageiros eram intensas. Segundo ele, a população pode fazer denúncias, reclamações e sugestões através da internet baixando o aplicativo e-OUV, acessando o site sistema.ouvidorias.gov.br ou ainda pelo telefone da ouvidoria geral do governo: 0800 647 7071.



Escreva um comentário