Porto Velho/RO, 16 Outubro 2020 14:11:02
Polícia

Mãe é presa após ser filmada agredindo filha de 1 ano com vara e esfregando fralda suja no rosto dela

Em Mato Grosso, familiares contaram que agressões são recorrentes e que foi pedido que ela entregue a guarda da criança para o pai

A-A+

Publicado: 16/10/2020 às 14h10min

Mãe é presa após ser filmada agredindo filha de 1 ano com vara e esfregando fralda suja no rosto dela em Mato Grosso — Foto: Divulgação

Uma mulher suspeita de maus-tratos contra a filha de um ano e nove meses foi presa em flagrante pela Polícia Civil na manhã desta quinta-feira (15), no município de Ribeirão Cascalheira.

A prisão ocorreu após o Conselho Tutelar acionar a equipe da Polícia Civil informando sobre um vídeo que mostrava a mulher agredindo a filha com uma vara e em seguida esfregando uma fralda suja no rosto da criança.

A suspeita de 27 anos foi autuada pelos crimes de maus-tratos qualificado e lesão corporal no âmbito da violência doméstica e também será investigada por possível tortura contra a criança.

Segundo as informações, o Conselho Tutelar já havia sido acionado outras vezes sobre os maus tratos praticados pela mãe contra a criança.

Diante dos fatos, as equipes da Polícia Civil e Conselho Tutelar foram até a residência da suspeita, onde resgataram a criança.

Em conversa com familiares, foi informado que as agressões praticadas pela mãe são recorrentes e que diversas vezes já foi pedido para que ela entregasse a guarda da filha para o pai da criança.

Em continuidade as diligências, os policiais seguiram até o local de trabalho da suspeita, onde foi realizada a sua prisão em flagrante. Questionada, ela confessou os fatos e disse que apenas estava educando a filha.

A mãe da criança foi conduzida à Delegacia de Ribeirão Cascalheira, onde foi interrogada pelo delegado Deuel Paixão de Santana e autuada em flagrante por maus tratos qualificado por ser praticado contra menor de 14 anos e lesão corporal no âmbito da violência doméstica.

O delegado também abriu uma investigação para apurar possível prática de tortura da suspeita contra a criança.

(G1)



Deixe o seu comentário