porto velho - ro, 12 Setembro 2019 18:30:56
    Polícia

    Vídeo: Governo desmascara golpe que encarecia placas do Mercosul

    Após ordenar a confecção e suspensão das placas Mercosul em todo o país pra averiguação sobre os preços abusivos que estavam sendo..

    Por Redação
    A-A+

    Publicado: 19/08/2019 às 12h21min

    Após ordenar a confecção e suspensão das placas Mercosul em todo o país pra averiguação sobre os preços abusivos que estavam sendo praticados, o governo federal descobriu que nas novas placas estilo Mercosul estava embutido um golpe contra o povo brasileiro, a fim de arrancar mais dinheiro dos pagadores de impostos, proprietários de veículos.

    De acordo com o governo, as placas propostas e suspensas possuíam dois elementos gráficos que eram patenteados, o que fazia com que proprietário do veículo, na troca da placa, tivesse que pagar, além da confecção, também os custos de licença e royalties desses elementos gráficos patenteados.

    No vídeo abaixo, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, explica que o governo retirou das placas esses elementos gráficos patenteados. Assim, a placa ficará mais barata e sem pagar royalties para ninguém.

    Veja o vídeo:

    Placas voltam em 2020, mas sem obrigatoriedade

    O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) decidiu adiar mais uma vez o prazo para implantação da placa de identificação veicular padrão Mercosul em todo o território brasileiro. Se antes a data era 30 de junho de 2019, agora ficou estabelecido que a data limite será 31 de janeiro de 2020.

    Isso porque, até o momento, apenas sete das 27 unidades federativas no país adotaram o novo padrão de emplacamento. São eles: Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

    Além disso, o Contran anunciou o fim da obrigatoriedade da adoção da nova placa para veículos que passam por transferência de proprietário sem mudar de município.

    “Com essa alteração, estimamos uma economia de aproximadamente R$ 3,4 bilhões ao consumidor final”, prevê Jerry Dias, presidente do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), sem estimar em quanto tempo essa economia se consumaria.

    Assim, a transição obrigatória nos estados credenciados passa a acontecer nos seguintes casos:

    • Carros novos
    • Veículos que passaram por mudança de município
    • Veículos que trocaram de categoria (um táxi que vira um carro de passeio, por exemplo)
    • Veículos cuja placa atual não foi aprovada em vistoria e/ou está ilegível ou danificada

    O Contran também determinou uma nova regra para credenciamento de estampadores e fabricantes da placa. Agora, os fabricantes devem ser credenciados pelo Denatran, enquanto os estampadores, pelos Detran estaduais.

    Segundo o órgão, isso gerará um aumento da concorrência no mercado. Atualmente, de acordo com o Departamento Nacional de Trânsito, há 1.300 estampadores e 21 fabricantes atendendo a demanda de todo o país.



    Escreva um comentário