Porto Velho/RO, 02 Setembro 2020 11:36:26
Variedades

Bebê adulto: homem foi demitido de vários empregos por usar fraldas

Norte-americano de 28 anos usa fraldas o dia todo: "Já perdi empregos"

A-A+

Publicado: 02/09/2020 às 11h35min | Atualizado 02/09/2020 às 11h36min

Damien usa fraldas o dia todo (Foto: Reprodução Instagram)

Não, o norte-americano Damien Turner, 28 anos, de West Virginia, não possui nenhum problema de saúde. Ele apenas faz parte de uma comunidade de pessoas que se diz “amantes de fraldas para bebês adultos” (ABDL) há 10 anos. Isso significa que ele usa fraldas o dia todo. No entanto, em entrevista ao Metro, Damien admitiu que seu estilo de vida tem causado problemas, principalmente em sua vida profissional. Ele conta que já foi demitido de empregos anteriores e agora está desempregado.

Fora do trabalho, ele afirma que é frequentemente provocado por suas escolhas, diz que perdeu amigos e só encontrou apoio dentro da comunidade. “Muitas pessoas na comunidade das fraldas entraram em contato e, agora, sou amigo de muitas delas. As fraldas são muito convenientes, confortáveis ​​e fofas. É um estilo de vida muito bom. Vestir-se e agir como um bebê transmite uma vibração muito calma, relaxante e segura. É quase como se você estivesse de volta à pré-escola, sem nenhuma preocupação no mundo”, diz. “Estou constantemente entrando e saindo de empregos. Às vezes, meus empregadores encontram minhas fotos online ou simplesmente não suportam o fato de eu estar usando uma fralda e agindo infantilmente no local de trabalho”, diz.

Recentemente, Damien trabalhava como coordenador de serviços na indústria, mas afirma que nunca escondeu que gosta de fraldas. Ele faz questão de postar fotos nas redes sociais e diz que isso incomodava os chefes. Agora, sem emprego, ele diz que vive das economias que acumulou. “Eu já economizei o suficiente por um tempo, mas, no momento, estou buscando um novo emprego. Então, vamos ver como será”, comenta.

Damien não esconde o fato de usar fraldas (Foto: Reprodução/Metro)

QUANDO COMEÇOU?

Damien conta que o desejo de usar fraldas começou quando ainda era criança, mas ele só adotou totalmente esse estilo de vida na adolescência. “É algo que sempre gostei, desde que era criança. Se eu realmente tivesse que atribuir a algo, diria episódios que aos espisódios de Bob Esponja ou Tom e Jerry, em que eles estão usando uma fralda. Eu achei muito atraente e uso desde os 16 anos”, afirmou. Sobre seus pais, ele revelou: “Eu cheguei a mentir aos meus pais, dizendo que tinha um problema [de incontinência] na época, para que eles comprassem. Mas, depois, contei a verdade. Eles realmente não se importam. Nunca tive problemas com os dois no que se referia ao meu estilo de vida”.

Mas fora da família, as pessoas não costumam ser tão compreensivas. “Perdi alguns amigos. Eu ainda tenho alguns bons amigos que sabem sobre isso. Nunca escondi minhas escolhas. Se você está perto de mim, vai saber”, diz. Outro problema enfrentado por Damien é o cyberbullying. “Muitas pessoas na internet acham isso hilário e fazem graça comigo. Eles fazem meme e comentam em fóruns online. Às vezes, as pessoas fazem vídeo falando sobre mim. É meio constrangedor, mas não me incomoda muito”, disse. “Nas ruas, todo mundo me olha de forma estranha. Sempre uso fralda em todos os lugares que vou e, às vezes, só visto um macacão ou apenas uma camiseta. Algumas vezes, as pessoas tiram fotos ou simplesmente, andam na direção oposta”, finalizou.

ADULTOS COM OBJETOS DE BEBÊS?

Em 2018, uma youtuber de 20 anos também causou polêmica nas redes sociais ao admitir que gostava de usar chupeta. Apesar de ser incomum ver adultos usando objetos de bebÇes, na época, a psicóloga Ana Cristina Fróes, comentou que trata-se apenas de um hábito, uma mania. “Não é algo patológico, não tem um nome, só é um comportamento culturalmente ligado à criança. Em alguns casos, pode até ser um sinal do não desligamento da infância, da família. E cabe à própria pessoa dizer se isso incomoda ou não”, explicou. Ou seja, se é certo ou errado, bonito ou feio, cabe apenas à ela ou ele decidir! (Revista Crescer)



Deixe o seu comentário