porto velho - ro, 02 Novembro 2019 02:35:11
    Diário da Amazônia

    Energisa diz que não é responsável por morte de 18 mil aves

    Produtor cobra, judicialmente, o reembolso no valor de R$ 66.726,34, detalhando em planilha que incluiu até as perdas com ração.

    Por Assessoria
    A-A+

    Publicado: 19/08/2019 às 16h59min | Atualizado 19/08/2019 às 17h17min

    A Energisa se manifestou sobre a acusação de que uma queda na distribuição de energia teria causado à morte de 18 mil aves no último dia 25 de fevereiro em uma propriedade rural no município de Rolim de Moura, interior do estado de Rondônia.

    Em nota (veja abaixo), a Energisa afirmou que buscou em seu sistema e confirmou que não houve nenhuma interrupção no fornecimento de energia nessa região na data apontada pelo produtor rural.
    A Granja HB II, um dos maiores produtores de aves de corte na região de Rolim de Moura, localizada no distrito de Nova Estrela, entrou com uma ação contra a Ceron/Energisa pelos prejuízos causados em função da morte de 18 mil pintinhos de 21 dias, no dia 25 de fevereiro desse ano.

    SAIBA MAIS: Granja perde mais de 18 mil aves por falta de energia elétrica

    O proprietário do aviário, descreve em relatório que o helo fusível da rede da concessionária queimou, gerando a abertura da chave que garantia a passagem de energia ao aviário.

    Foto: Divulgação (18 mil pintinhos de 21 dias morreram no dia 25 de fevereiro desse ano)

    De acordo com o empresário, ele entrou em contato com a empresa e foi informado de que não poderia ser atendido porque existia uma conta de energia atrasada. Ele diz que por já ter enfrentado situações semelhantes dispunha de um gerador próprio de energia, que foi acionado emergencial, das 12h as 18h. O equipamento não aguentou a sobrecarga, mas nesse meio tempo um eletricista contratado por Ivani Bueno trabalhava na troca da chave, o que impediu a morte de pelo menos 60 mil aves.

    “Com o gerador funcionando conseguimos salvar as aves mais fortes, mas infelizmente 18 franguinhos de 21 dias pereceram”, disse ele.
    O produtor apresentou também laudo de médico veterinário do IDARON constatando que as aves não foram vítimas de nenhum processo infeccioso, tendo morrido em função da elevada temperatura, já que os barracões ficaram com ventilação precária.

     

    NOTA CERON/ENERGISA

    Sobre a matéria “Granja perde mais de 18 mil aves por falta de energia elétrica”, a Ceron, empresa do Grupo Energisa, esclarece que, em 24/05/2019, o responsável pela Granja HB II, localizada em Rolim de Moura, ingressou com procedimento administrativo solicitando ressarcimento de danos não materiais em sua propriedade. De acordo com o proprietário, 18 mil aves teriam morrido em 25 de fevereiro devido à falta de energia elétrica. Porém, ao consultar o sistema, não foi encontrado qualquer registro de interrupção do serviço no período e localidade informados, ou de qualquer outra falha técnica que pudesse ocasionar o dano citado.

    De acordo com a ficha de atendimento emitida pela Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril (IDARON), apresentada pelo próprio cliente, foi relatado um “problema no disjuntor que controla o painel do aviário”. O documento não esclarece a causa da morte das  aves, tampouco a realização de exames que afastem a possibilidade do óbito ter ocorrido por outros fatores.

    A Ceron lembra que as manutenções do sistema elétrico situado dentro das propriedades são de responsabilidade do proprietário e orienta a contratação de profissionais capacitados a realizar tais atividades.

    Outras informações e solicitações de serviços estão disponíveis através do 0800 647 0120, no site www.ceron.com.br e nas redes sociais Facebook – @energisa Twitter: @energisa, com o registro de número de protocolo de atendimento.

     



    Escreva um comentário