Porto Velho/RO, 01 Maio 2020 12:26:56
Polícia

Homem armado invade UPA e assalta funcionários em Porto Velho: ‘Como se não bastasse o coronavírus’, diz médico

Um homem assaltou funcionários de plantão na noite de quinta-feira (30). Vítimas chegaram a apresentar pressão alta e foram medicadas ainda

A-A+

Publicado: 01/05/2020 às 12h25min | Atualizado 01/05/2020 às 12h26min

Funcionários da UPA Sul, em Porto Velho, foram assaltados na noite de quinta-feira (30). — Foto: Matheus Gama/CBN Amazônia

Um homem armado invadiu a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na Zona Sul de Porto Velho na noite de quinta-feira (30). Testemunhas relataram que o suspeito abordou médicos, enfermeiros e técnicos que estavam de plantão na sala de emergência e levou os celulares das vítimas.

O crime aconteceu por volta das 19h30. De acordo com uma técnica de enfermagem, que preferiu não se identificar, havia ao menos cinco pessoas trabalhando na sala, quando foram surpreendidas pelo homem, que retirou o revólver da cintura e anunciou o assalto. Após pegar os aparelhos celulares, o assaltante fugiu.

A polícia foi acionada e conforme o boletim de ocorrência realizou patrulhamento nas proximidades da UPA, mas não conseguiu localizar o suspeito.

Uma testemunha revelou que dois funcionários chegaram a cair ao correrem do assaltante, mas não se feriram.

Outras vítimas do assalto chegaram a apresentar pressão alta e foram medicadas ainda na unidade. Uma funcionária foi liberada após passar mal. “Infelizmente, não é a primeira vez que isso [crime] acontece”, lamentou.

“A sensação até o momento não consigo descrever. É só impotência. É só isso que eu tenho para falar. Aquela sensação de que você sentir que a qualquer momento um cara vai entrar aqui e levar a sua vida. Como se não bastasse tudo isso que estamos enfrentando por causa de coronavírus”, disse um médico que teve o celular roubado.

Por conta do crime, a UPA Sul segue atendendo apenas casos de urgência e emergência. “O portão fica aberto por causa do novo coronavírus. Mas deixamos de cumprir nosso papel na sociedade”, ressaltou outra médica que também foi vítima do assalto.

À CBN Amazônia, outros funcionários disseram que em dezembro do ano passado, houve duas tentativas e um assalto. No início de janeiro, outro assalto teria ocorrido. As testemunhas disseram que um suspeito conseguiu quebrar uma das janelas e levar uma televisão.

Fonte G1RO



Deixe o seu comentário