porto velho - ro, 22 Setembro 2019 00:38:02

    SolanoFerreira

    coluna

    Publicado: 03/07/2019 às 09h16min | Atualizado 03/07/2019 às 10h06min

    A-A+

    Acre e Rondônia expandem o espaço agrário

    A região de Ponta do Abunã (que era conhecida como terras improdutivas) vem se tornando um grande celeiro de grãos. Os negócios estão..

    A região de Ponta do Abunã (que era conhecida como terras improdutivas) vem se tornando um grande celeiro de grãos. Os negócios estão fluindo tão bem que a expansão já chega ao do Acre, que também está acreditando no agronegócio. As áreas plantadas aumentam a cada dia. Com o anúncio de que a ponte sobre o rio Abunã será inaugurada ainda neste ano, os investidores animaram e a previsão é de mais terras plantadas.

    Ponta do Abunã está na região Norte de Rondônia e pertence à Porto Velho. Desde o tempo dos seringais pouco se plantava por lá devido a dificuldade logística para o escoamento da produção. O lugar também era conhecido como terras impróprias, formadas de solos argilosos e arenosos. Nada que a mecanização e a correção de solo não possam resolver e está resolvendo. As propriedades que estavam tomadas pelo capoeirão e ate matas nativas, vem se transformando em campos produtivos.

    O Acre durante muitas décadas acreditou no projeto agroextrativista e sonhou em ser referência nesse negócio. Atualmente caminha para o projeto de gado e grãos, impulsionado pela soja e pecuária de grande porte. A inspiração do estado vizinho parte de Rondônia que vai bem nesses negócios. Pequenos produtores e extrativistas estão disponibilizando suas terras para os grandes produtores que entram com potentes tratores rasgando o chão e transformando o espaço agrário.

    O que vem impulsionando a região do Abunã e Acre é a proximidade de Porto Velho, onde tem os portos graneleiros que levam a produção mar afora, partido pela hidrovia do rio Madeira. Outra vantagem é que a tão esperada ponte na confluência dos rios Abunã e Madeira ficará pronta ainda neste ano, conforme previsão anunciada pelo Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre). Com a estrada interligada o escoamento em grande escala será facilitado. Também há de se considerar que os baixos preços de terras (se comparando com Rondônia e Mato Grosso) são outros fatores que tem favorecido a expansão agrícola na região.

    Com esse desempenho econômico no Abunã e Acre, o Oeste brasileiro ganha mais áreas produtivas e aumenta o volume de produção e exportação. Os investimentos também estão aumentando a integração e relações entre os vizinhos (Acre e Rondônia) que visam juntos, formar cadeias produtivas e de valores que possam ampliar a renda desses estados.


    Escreva um comentário

    Arquivos de colunas