porto velho - ro, 02 Novembro 2019 01:57:06

    SolanoFerreira

    coluna

    Publicado: 24/08/2019 às 16h33min

    A-A+

    MUNDO REAGE CONTRA AS QUEIMADAS

    Ontem tivemos uma sexta-feira com muita mobilização pelo mundo contra as queimadas na Amazônia. Começou logo cedo quando o presidente..

    Ontem tivemos uma sexta-feira com muita mobilização pelo mundo contra as queimadas na Amazônia. Começou logo cedo quando o presidente Frances, Emmanuel Macron, disse que o presidente brasileiro Jair Bolsonaro havia mentido na cúpula do G20 (grupo dos 20 países mais influentes do mundo)ao apresentar dados sobre desmatamento na Amazônia. Às 23 horas de quinta -feira (22), Macron publicou em sua conta no Twitter uma foto da floresta em clamas e escreveu na legenda: “Nossa casa arde literalmente. A Amazônia é o pulmão do nosso planeta que produz 20% de nosso oxigênio, está em chamas. É uma crise internacional. Membros do G7, nos vemos em dois dias para falar sobre esta emergência”.

    A publicação do líder Frances causou reação no mundo inteiro. Ainda ontem, aconteceram atos públicos em 14 cidades dos países mais importantes do mundo. França e Irlana anunciaram que votariam contra o acordo da União Européia e Mecosul, e no meio da tarde teve apoio do Canadá que também prometeu algum tipo de sansão ao Brasil. Na mídia mundial o presidente Jair Bolsonaro foi citado como “inflamador” ao promover discurso que teria induzido às derrubadas e queimadas descontroladas. 

    No Brasil a reação também ocorreu. A ativista Marina Silva reproduziu o discurso internacional acusando Bolsonaro de induzir às derrubadas e queimadas. Outros ativistas levantaram a bandeira contra as queimadas. O governo brasileiro saiu em defesa da soberania nacional, anunciou que o Ibama estará contratando brigadas para conter incêndios florestais, acionou o Exército para atuar contra as queimadas,  convocou ministros para que (em suas respectivas pastas) possam agir no controle às queimadas. No meio da tarde o presidente Bolsonaro convocou uma reunião ministerial, e n noite fez um pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão.

    Mas antes dessas providências, o governo Bolsonoro teve uma semana de falas desconexas que incendiaram ainda mais o mundo. O ministro Chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzetti, disse que tinha coisa mais séria a fazer do que ver queimadas; Bolsonaro falou que não tinha queimadas, mas depois que as imagens de satélites correram o mundo, mudou o discurso dizendo que as queimadas eram criminosas e provocadas por ONGs; e mais umas frases incendiárias surgiram nesse contexto.

    Por fim, a semana termina com muitas lideranças no mundo provocando reações contra as derrubadas e queimadas, e o governo brasileiro com ações anunciadas que possam promover o controle. É esperar para ver o que de fato acontecerá na nova semana que logo se inicia. Enquanto isso, os moradores de Rondônia e de outros lugares, continuaram com tosses, irritações respiratórias, paisagem sufocada pela fumaça, e sofrendo de forma direta as conseqüências de tanto fogo na floresta e nas matas derrubadas. Literalmente, é fogo! 

     


    Escreva um comentário

    Arquivos de colunas