porto velho - ro, 02 Outubro 2019 01:26:24

    Solano Ferreira

    coluna

    Publicado: 17/07/2019 às 14h24min

    A- A+

    Reduz as mortes, mas violência ainda assusta

    Dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública apontam que a violência no Brasil reduziu neste primeiro semestre de 2019. Os índices..

    Dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública apontam que a violência no Brasil reduziu neste primeiro semestre de 2019. Os índices de homicídios dolosos apresentaram queda de 22% se comparando com o mesmo período do ano passado. O Monitor da Violência é atualizado mensalmente com os dados registrados em todos os 26 estados e do Distrito Federal.

    Um dos reflexos está na estatística nacional de maio, quando houve 3.521 assassinatos contra 4.327 ocorridos no mesmo período de 2018. Os números são bons não apenas na comparação de um ano, mas nos últimos 11 anos foi a maior redução percebida com 13% no geral.

    Apesar da redução, os números continuam altos e ainda muito precisa ser feita para acalmar os ânimos e reduzir os assassinatos. No Brasil morreu neste ano, uma pessoa a cada 12 minutos vitima de assassinato. É muito luto contado por minuto neste imenso País. O levantamento faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (NEV/USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública e G1.

    Um dos motivos da redução das mortes violentas é apontado por especialistas por causa do aumento de prisões. Foram 705 mil presos lançados no sistema prisional que comporta 415 mil vagas no País inteiro. Quanto mais marginais presos, menos mortes são registradas. Esse reflexo fortalece a tese dos que defendem mais prisões.

    O método Limpeza social (termo da sociologia que se refere à eliminação de elementos sociais indesejáveis, como criminosos), parece que surtiu efeito neste primeiro meio ano. Apesar de haver a percepção de que, quanto mais prisões, menor violência, a Limpeza social por si só não resolve o problema de violência no País. O custo para manter as cadeias é alto e não tem vagas. Construir mais prisões leva tempo e custa caro.

    Socializar presos é outro serviço caro e de pouco resultado. Os índices de envolvimentos e resultados em medidas socioeducativas ainda não animam os gestores públicos. Tudo indica que o Brasil deva continua encurralando os ditos sujeitos antissociais nas prisões para o bem geral da Nação, em manter os índices de redução de violência.


    Escreva um comentário

    Arquivos de colunas