Porto Velho/RO, 06 Março 2020 08:01:23

CarlosSperança

coluna

Publicado: 06/03/2020 às 08h01min

A-A+

Atrito entre ministros traz uma situação normal em caso de conflito

O conjunto da obra de cada ministro não recomenda adesão automática a nenhum deles.

Corrigir ou acabar?

O atrito entre os ministros Paulo Guedes, da Economia, e Ricardo Salles, do Meio Ambiente, traz à cena uma situação normal em caso de conflitos: a tendência a optar por um dos lados. Principalmente quando o insulto da moda, logo depois dos já gastos “canalha”, “mortadela” e “coxinha”, é “isentão”.

O conjunto da obra de cada ministro não recomenda adesão automática a nenhum deles. Há uma chance real de ambos apararem as arestas e nenhuma garantia de que eventuais sucessores venham a apresentar políticas diferentes.

Salles abriu uma pendenga ao atacar os cientistas que pesquisam os impactos humanos sobre o clima. Guedes, já antes da posse, dava como favas contadas o fim da Zona Franca de Manaus. As ações de Salles foram um desastre, destroçando de vez a imagem do Brasil no exterior, que foi aos céus com a Eco-92 mas já não era boa desde o final daquela década, desabando nos infernos do fogo e do desmatamento no atual governo.

Guedes, habituado a modelos cunhados pela academia, precisa perceber que a ZF é necessária, a maioria das críticas feitas não se sustenta e, sim, tem distorções, problemas gerenciais e administrativos, que precisam ser logo corrigidos. Aliás, o Brasil também tem todos esses males, mas nem por isso seria justo ou sensato acabar com ele. O melhor a fazer seria cada ministro corrigir seus próprios erros para acertar no conjunto da obra.

…………………………………………………………………………………………………

As articulações

Largando na frente dos demais partidos em termos de organização, o MDB agora chefiado pelo deputado federal Lucio Mosquini e pelo senador Confúcio Moura, está abriu uma série de seminários visando preparar sua militância, reforçar o discurso de seus candidatos a prefeito e vereadores. Os eventos foram iniciados em Porto Velho e se estenderão aos demais polos regionais, Ariquemes, Cacoal etc. O marketing do partido também está sendo ajustado, pois a legenda está mais suja do que poleiro, com seus dirigentes nacionais enfrentando pendencias na justiça.

Embromâichan

Somente quando apupados pela população os governantes rondonienses tomam providências e ainda assim enrolando a população de Porto Velho. Cito os casos das movimentadas estradas do Belmont e da Penal. Sucessivos prefeitos e governadores anunciaram suas recuperações mas taticamente na estação das chuvas para usar como desculpa para não dar continuidade nos trabalhos. E nada mudou, continua tudo tão igualzinho e a coisa não anda…

Balcão de negócios

Num verdadeiro balcão de negócios, o Congresso Nacional e o governo federal definem o destino das emendas impositivas no orçamento da União. Os deputados Deputados federais e senadores lá tem suas razões na peleja com a União: afinal brigam por recursos para atender obras em suas bases eleitorais e são cobrados pelos prefeitos e vereadores de suas respectivas regiões nesta peleja com Bolsonaro.

Troca-troca

Dentro do calendário eleitoral vigente, em vista da abertura da janela partidária, vai começar o troca-troca nos partidos visando as eleições municipais de outubro. Temos surpresas a vista com muitos vereadores e até possíveis candidatos à prefeitura de Porto Velho trocando de legenda já nos próximos dias. Partidos em baixa como o PT e MDB podem perder mais quadros ainda. E o PSD de Dito Neto já incha com adesões de ex-tucanos.

Grande desgaste

O mês de março começou com grande volume de chuvas na capital alagando tudo nos bairros. Estamos vendo tatus com chuteira, e sapos com correntes para se locomover. É coisa de louco! O bairro da Lagoa e algumas regiões da Zona Leste padecem com a falta de infraestrutura, principalmente de drenagem. A Zona Sul enfrenta os mesmos problemas. É o inverno amazônico no seu auge provocando enorme desgaste para a administração municipal.

Via Direta

*** Elogiar vereador é bem difícil e raros merecem, como Alex Palitot, portovelhense da gema, pitoco e com trabalho de qualidade. *** Mas pela coerência e dedicação, e com uma boa legislatura desenvolvida na Câmara de Vereadores a edil Joelna Houder, também pavimenta bem sua reeleição*** Aliás, ela seria uma grande candidata a prefeitura da capital ou vice para qualquer candidato a prefeito de ponteira na temporada*** Trocando de saco para mala, temos um segundo pelotão de candidatos a prefeitura de Porto Velho em ação.*** Entre tantos nomes aparecem o ex-deputado Hermínio Coelho, o comunista Samuel Costa, o pastor Valadares, Pimenta de Rondônia, Ramon, Pedro dos Cornos entre tantos querendo se arriscar na vida partidária *** Vamos ver quais as candidaturas que vão vingar, pois alguns querem ser apenas vices de candidatos de ponteira *** Como a necessidade faz o sapo pular, foi retomada a drenagem na região do Flamboyant, mesmo no período das chuvas.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas