Porto Velho/RO, 13 Novembro 2020 09:33:10

CarlosSperança

coluna

Publicado: 13/11/2020 às 09h32min | Atualizado 13/11/2020 às 09h33min

A-A+

Candidatos em Porto Velho não estão para brincadeira e o pau vai cantar mais forte na reta final

Casa dividida Neste novembro, as eleições municipais no Brasil e gerais nos EUA trazem lições importantes. Em uma democracia liberal, o..

Casa dividida

Neste novembro, as eleições municipais no Brasil e gerais nos EUA trazem lições importantes. Em uma democracia liberal, o líder vai à eleição encarnando um programa partidário. Na polarização inflada pelo populismo, o líder cria ou usa uma sigla qualquer e apresenta uma sopa de ideias desconexas mas cativantes para diversos grupos de apoiadores que se unem para combater um inimigo útil, preferencialmente alienígena.

Os adversários são acusados de estar ligados a esse hipotético inimigo e assim não é preciso apresentar propostas efetivas ou um programa político: basta combater com raiva. A substituição da política liberal pelo populismo acaba de ser vista nas eleições dos EUA. Devido à polarização, os concorrentes não fizeram propostas, limitando-se a atacar raivosamente o adversário. 

O resultado da eleição polarizada é a comunidade dividida. Nos EUA, já no dia 4 se constatou o virtual empate entre Democratas e Republicanos no Congresso. Nesse caso, ou o presidente negocia com o outro lado ou instaura uma ditadura, pondo fim à democracia. No Brasil, também efeito da polarização, o presidente Jair Bolsonaro se viu na obrigação de compor com o Centrão, vários governadores têm problemas de governabilidade e muitos prefeitos precisam entregar meia prefeitura a vereadores sem ideias, mas muito apetite, para ter maioria e passar leis de interesse da população.

…………………………………………………….

Jogo de estratégia

O cara-pálida leitor deve estar se perguntando em Porto Velho: Os candidatos Hildon Chaves (PSDB) e Vinicius Miguel (Cidadania) não se atacam, como é comum numa eleição a prefeito na capital, principalmente entre aqueles que lideram a peleja e devem desembarcar no segundo turno? A explicação é simples: não que sejam bonzinhos e tenham bom coração: trata-se de jogo de estratégia dos dois candidatos. Como assim? Os tucanos consideram Vinicius Miguel jovem e inexperiente e por isto citado intramuros uma presa fácil no segundo turno.

Na torcida!

Já no quartel general de Vinicius Miguel e dos demais postulantes da oposição a conta é a mesma entre eles: quem chegar no segundo turno contra o candidato tucano vai ao pódio. Seja ele, Vinicius, ou Cristiane, já pintada em cores de zebra, leva a parada. Consideram que o alcaide tem um teto até 30 por cento de intenções de votos e com isto tem 70 por cento contra ele para trabalhar no segundo turno e por conseguinte Hildon Chaves, leva pau. E Vinicius, como os demais oposicionistas, torcem para pegar o tucano no segundo turno. 

Muita brigarada 

Aversos aos jogos de estratégias dos possíveis favoritos ao segundo turno, os demais candidatos em Porto Velho não estão para brincadeira, mesmo porque acreditam em surpresas, efeito manada, voto útil – e até Boi Tatá! – e com isto mudanças de última hora como já ocorreram em eleições anteriores. Então o pau vai cantar mais forte em Hildon Chaves, Vinicius Miguel  e Cristiane nas últimas horas de campanha numa tentativa de equilibrar as coisas. Vinicius foi o mais atacado nos últimos dias.

Na imprensa

O Covid atacou forte, além da formiguinhas, nos meios da imprensa em Rondônia e muitos colegas sofreram muito. Desde Everton Leoni (TV Candelária), Leo Ladeia (Rede TV), Cristiane Lopes (SBT), Marcelo Freire (ex-Diário), Fábio (TV Rondônia), Sérgio Pires (TV Candelária), Acir Gurgacz (SGC). Muitas redações de jornais, sites, emissoras de rádio e televisão foram atingidas, desde a telefonista até os proprietários. Uma pandemia que está chegando numa segunda onda e com Porto Velho seriamente afetada. Salve-se quem puder!  

A condenação

Ao longo dos anos fui crítico do ex-governador Valdir Raupp, condenado agora a 7 anos e tanto de prisão. Não vejo a condenação injusta, pelo conjunto da obra lavajatista, mas comparada com o que Renan Calheiros, Michel Temer, Collor, Sarney, Serra, Aécio Neves e dirigentes petistas roubaram (e todo mundo solto…) entendo que pegaram o nosso barbudo queixada para bode expiatório. Alguém tinha que pagar o pato, pular o cadafalso, numa resposta a sociedade. Puniram um bagre de um estado do baixo clero, deixaram os tubarões de fora. É lamentável.

 

Via Direta

*** Lembram da zebra que eu falava desde o início da campanha que ia aparecer na capital? Pis [e, ela finalmente deu as caras*** O senador Confúcio Moura (MDB) aposta suas fichas em Porto Velho no candidato Williames Pimentel*** Elegendo Pimentel na capital, o partido poderá projetar melhores perspectivas para o lançamento do seu candidato ao governo em 2022, o deputado federal Lucio Mosquini *** Já os caciques do PSDB, Expedito Junior e dos Democratas Marcos Rogério pugnam pela reeleição do prefeito Hildon Chaves em Porto Velho já vislumbrando uma dobradinha de seus partidos para 2022 ao governo e ao Senado ***  Caro eleitor de Porto Velho, a eleição está chegando. Diga não nas urnas aos candidatos dos traficantes!*** Vamos melhorar e qualificar já nossa representatividade.

 


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas