Porto Velho/RO, 02 Janeiro 2020 08:43:21

    CarlosSperança

    coluna

    Publicado: 02/01/2020 às 08h43min

    A-A+

    Estado de Rondônia chega completa 38 anos de instalação

    O exemplo do café A fórmula de premiar projetos que combinam preservação e sustentabilidade com a geração de emprego e renda..

    O exemplo do café

    A fórmula de premiar projetos que combinam preservação e sustentabilidade com a geração de emprego e renda produzirá ótimos resultados no futuro. Para isso é fundamental vencer a desgastante polarização que fez a Amazônia sair do topo das esperanças mundiais para o abismo do medo de que a degradação ambiental tenha chegado ao temido ponto sem volta.

    Retomando o fio perdido antes das gritarias e ofensas que distorceram notícias, causaram desarmonia entre nações e espantaram investidores e turistas, será possível vencer o terror do aquecimento global com soluções consensuais que evitem o pior. Há chances e espaços para todos que tragam boas ideias.

    Nesse sentido, Rondônia apareceu bem em 2019, apesar das tragédias e desastres do período, ganhando respeito e destaque no país e no exterior pela qualidade de seus cafés. Falar hoje em Robusta Amazônico é falar, sobretudo em Rondônia, por conta de sua feliz combinação de clima, solo e boas escolhas genéticas.

    Desde o papel aglutinador da Embrapa se deu com os ótimos cafés da região um exemplo de como deveria ser procurada a solução para os problemas do Brasil: a combinação de esforços entre produtores, instituições de pesquisa, técnicos, políticos, órgãos governamentais, índios, migrantes, homens e mulheres de todas as idades, com pautas claras e objetivas. Que 2020 tenha o sabor de bom café acompanhado pelo pão da paz nacional.

    ………………………………………………..

    Rondônia estado

    O Estado de Rondônia chega neste sábado, dia 4, aos 38 anos de instalação. Na festa de Rondônia estado, em 1981, governava o então Território Federal o coronel Jorge Teixeira, que permaneceu no cargo como principal mandatário do estado. Na prefeitura da capital exercia a função de prefeito o engenheiro Sebastião Assef Valadares, que seguiu no emprego até 1985. Não tinha Assembléia Legislativa, que só surgiria com as eleições gerais em 1982.

    Auge da migração

    No inicio dos anos 80, no cenário pela mobilização pelo estado Rondônia batia sucessivos recordes de crescimento demográfico em virtude de enorme migração. Já éramos cerca de 500 mil habitantes, uma população que quase quadriplicou desde então. A representação de Rondônia no Congresso Nacional no território se resumia a dois deputados federais: Jerônimo Santana (PMDB) e Isaac Newton Pessoa (PDS), ambos já falecidos.

    Poucos municípios

    O cenário municipalista em Rondônia em 1981 era bem restrito. Existiam apenas os municípios de Porto Velho e Guajará Mirim, os mais antigos e os criados em 1977, que foram Ariquemes, Ji-Paraná, Cacoal, Pimenta Bueno e Vilhena. Com o surgimento da Assemléia Legislativa em 1982 criaram-se dezenas de outros. Alguns deles, com a legislação rigorosa de hoje, desceriam para a “Série B” (para distritos), casos de Santa Luzia e Pimenteiras.

    Falam as urnas!

    Com o advento do estado, vieram às primeiras eleições gerais em 1982, menos para governador, que só aconteceria em 1986.  Pela primeira vez Rondônia elegeu três senadores (Odacir Soares, Galvão Modesto e Claudionor Roriz, todos já falecidos), oito federais, sendo os mais votados Mucio Athayde e Chiquilito Erse (já falecidos) e 24 deputados constituintes (depois estaduais), com José de Abreu Bianco o mais votado e eleito presidente da Assembléia Constituinte.

    Voto direto

    Pelo voto direto, Rondônia só elegeria seu primeiro governador em 1986 com os ventos da Nova Republica de Tancredo Neves beneficiando o PMDB e emplacando Jerônimo Santana, tendo vice Orestes Muniz. A poderosa chapa formada pelo PDS com o senador Odacir Soares ao governo e José Bianco vice acabaria derrotada. De lá para cá, muito revezamento no governo estadual entre antigas lideranças do MDB e PDS (depois PFL) já com novas denominações de siglas. 

     

    Via Direta

    *** A mobilização pelas eleições municipais 2020 vem aí logo depois do carnaval e com um uma chuva de candidatos novatos em Porto Velho*** Isto motivado pela tradição de zebras na capital rondoniense, aonde candidatos saem do nada, como Roberto Sobrinho e Hildon Chaves para se transformarem em prefeitos*** E para outubro é esperada uma nova zebra. Façam suas apostas*** Já à eleição em Ji-Paraná caminha para uma polarização entre o atual prefeito Marcito Pinto (PDT) e o ex-vereador Isau (MDB)*** Em Vilhena o clã Donadon tenta voltar ao poder derrotando o atual prefeito Eduardo Japonês também num cenário de polarização (PV)*** Em Ariquemes, como em Porto Velho, o vice também tenta derrubar o prefeito de plantão*** So que o vice de lá tem mais chances, mas tendo ainda na peleja o ex-deputado estadual Tziu Jidaias (Solidariedade), largando melhor.


    Deixe o seu comentário

    sobre Carlos Sperança

    Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

    Arquivos de colunas