Porto Velho/RO, 13 Agosto 2020 09:47:43

CarlosSperança

coluna

Publicado: 13/08/2020 às 09h45min

A-A+

Evangélicos engordam o PSC e buscam fortalecer candidaturas nas

Buscar o melhor A Storebrand Asset Management, que integra um bloco de 34 investidores com o peso de quase US$ 5 trilhões, comemorou na..

Buscar o melhor

A Storebrand Asset Management, que integra um bloco de 34 investidores com o peso de quase US$ 5 trilhões, comemorou na Noruega o sucesso das pressões exercidas sobre o governo brasileiro para cessar a destruição da Amazônia. O Brasil ser pressionado a proteger seu meio ambiente é como exigir da mãe que proteja o filho. Há mães desnaturadas, é certo, mas a nação tem em sua diversidade natural uma riqueza que será inesgotável seguindo a racionalidade sustentável e o bom senso. 

Não havia a necessidade de investidores organizarem a pressão mundial que obrigou o governo brasileiro a proibir as queimadas por 120 dias. Bastaria um diálogo respeitoso, sem a polarização que transforma até políticas de Estado em brigas entre seitas. Um debate focado no entendimento demonstraria claramente que o Brasil já protege bem seu patrimônio natural. 

O governo errou ao tratar o problema como de soberania nacional, que nunca esteve em questão. Trata-se, objetivamente, de como fazer cada centavo render o máximo, selecionando as melhores opções, exercício simples e fácil que projetaria rápidos ganhos na infraestrutura e na melhoria geral da renda dos povos.

A questão sempre foi como usar bem os recursos já à disposição, ampliar a atração de investimentos e planejar os melhores resultados a partir daí. Mais diálogo e inteligência fazem desnecessários os desabafos, as pressões e as ofensas.

…………………………………………………………….

PSC engorda

Com a transferência da vereadora Joelna Houder para o PSC, o MDB da capital perdeu com a revoada dezenas de filiados ligados a Igreja Assembleia de Deus. Também o ex-deputado estadual Edvaldo Soares deixou o partido de Confúcio Moura e Willians Pimentel arrastando alguns seguidores que estavam filiados a legenda do falecido governador Bengala. Edvaldo, como se sabe, é o candidato do PSC a prefeitura de Porto Velho.

Um serpentário 

Prestes a anunciar a desistência do seu projeto de reeleição, o prefeito Hildon Chaves (PSDB) vai ter que botar ordem no seu serpentário (base aliada) visando uma coalizão unida para enfrentar nomes fortes da oposição como os deputados federais Leo Moraes (Podemos), Mauro Nazif (PSB) e o emergente Vinicius Miguel. Mesmo fora da peleja, o alcaide tucano vai querer influenciar no processo sucessório emplacando um aliado para o Prédio do Relógio.

Ciça do Manelão

Bastou a simples citação da possibilidade da candidatura da Ciça do Manelão a prefeitura de Porto Velho que aumentou o reboliço nos meios políticos da capital. Carismática, Ciça tem profunda identidade com a capital rondoniense e sucedeu o falecido Manelão no comando da Banda do Vai Quem Quer, que arrasta multidões no carnaval local. Além disto sempre esteve envolvida em projetos sociais. É competente e empoderada.

Cacoal x Vilhena

Acompanho com atenção a disputa entre Cacoal e Vilhena pela condição do quarto município do estado, uma peleja que esta pau a pau. Pelo número de habitantes, Vilhena, pujante polo regional do cone sul rondoniense, impulsionado pela soja, tem algumas centenas de habitantes a mais. No entanto, pelo eleitorado, com uma diferença favorável de mais de 1000 votantes, a progressista Cacoal, onde a cultura do café predomina, mantém a quarta posição. 

As projeções

Pelos índices de crescimento em décadas passadas, o estado de Rondônia já teria ultrapassado os 2.200 milhões de habitantes. No entanto, com a migração de rondonienses para os estados do Acre, Amazonas e Mato Grosso as projeções não se confirmaram. Migrantes rondonienses – muitos de famílias originárias do Paraná, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Espirito Santo, fundaram municípios, como Apuí (Amazonas) e Conilza (Amazonas) desde a década de 90.

Via Direta

*** Apresentada pelo senador Álvaro Dias (Podemos-PR) ainda em 2017, a PEC que reduz o número de deputados federais, estaduais e vereadores no Brasil não ganhou pernas***A proposta deve ter sido considerada inconveniente e segue repousando nas comissões técnicas do Congresso Nacional*** Aos poucos os deputados estaduais de Rondônia vão aumentando sua influência no governo Marcos Rocha. Em troca garantem apoio as matérias de interesse do Poder Executivo na Casa de Leis ***A ameaça do prolongamento da estiagem preocupa os paranaenses e toda cadeia do agronegócio*** A compra do Hospital Regina Pacis em Porto Velho pelo governo estadual segue causando dissabores ao governo do estado*** A justiça já está na goela dos responsáveis pela aquisição. 


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas