porto velho - ro, 26 Maio 2019 01:23:41

Carlos Sperança

coluna

Publicado: 13/03/2019 às 09h48min | Atualizado 13/03/2019 às 09h49min

A- A+

Não faria mal um estudo sobre a eficácia em segurança pública

Não faria mal um estudo sério sobre a eficácia em segurança pública a partir de um dado importante quando se trata de cobertor..

Não faria mal um estudo sério sobre a eficácia em segurança pública a partir de um dado importante quando se trata de cobertor orçamentário curto: quanto custam as dispendiosas e assustadoras operações via GLO que paralisam a vida nas comunidades, às balas perdidas achadas em corpos inocentes, as mortes por susto, em cotejo com os custos da tecnologia disponibilizada aos setores integrados de inteligência.
A questão surge quando, em meio a tantas bandalheiras conhecidas pelo mau uso de redes sociais e algoritmos viciados que manipulam, eleições, o Brasil se maravilha com a efetividade de uma arma quentíssima usada pelo delegado Leonardo Brito, da Delegacia do Meio Ambiente do Amapá.
Consta que ao acionar um aplicativo de imagens ele determinou dezenas de operações de sucesso em áreas da Amazônia de acesso extremamente difícil que só dariam cansaço, perda de tempo e recursos se feitas na “incerta”, como tantos passeios na floresta que resultam em nada pelo tempo que sobra aos espiões para denunciar as incursões a esmo.
Basta verificar se a tecnologia que permite conhecimento de terreno suficiente para saber até a quantidade de adubo que se deve pôr em centímetros de terra também pode apontar onde há quadrilhas surrupiando metros cúbicos de madeira.
………………………………………….

Custo Rondônia

A construção civil já esta se ressentindo com o custo da energia imposto pela Aneel e cobrado pela Energisa. Nas ceramicas de Porto Velho, o milheiro de tijolos já saltou para R$ 380,00 e este preço deve aumentar ainda mais no verão. Por conseguinte o custo do metro quadrado em alvenaria já impacta os orçamentos das construtoras com o consumidor final pagando o pato.

Pau no prefeito!

A oposição, os perdedores e rejeitados do pleito de 2016 e, ainda os que queriam mamar nas tetas do Paço Tancredo Neves e que foram escorraçados, aproveitaram o inverno rigoroso que trasnformou a cidade num igapó para descer a lenha no prefeito Hildon Chaves (PSDB). Mas o verão esta chegando e o alcaide prepara um pacote de obras de limpeza, encascalhamento e pavimenação. Garante que vai responder as baixarias com obras.

A infraestrutura

O governo Jair Bolsonaro anuncia para setembro a inauguração da Ponte do Abunã e o leilão de privatização da BR-364, no trecho entre Porto Velho (RO) e Comodoro (MT) para o ano que vem. Já no tocante a BR 319, que liga Porto Velho a Manaus, não existe nem previsão de conclusão, revoltando as lideranças de Rondônia, Acre, Amazonas e Roraima, que estão unidas pela mesma bandeira.

Nas paradas

Caso se confirme as eleições suplementares em Candeias do Jamari, o ex-deputado fedral Lindomar Garçon (PRB) – aquele conhecido papagaio de pirata no impeachment da presidente Dilma Roussef – já estará a postos para a peleja. Garçon é o rei dos votos daquela cidade dormitório, e embora mais mentiroso que o Edwilson Negreiros, nunca perdeu eleição a prefeito nasquelas bandas.

Eleições municipais

Vários deputados estaduais são cotados para disputar as eleições municipais no ano que vem. Enre eles, Luizinho Goebel (PV) em Vilhena, Cassia da Muleta (Podemos) em Jaru, Adelino Folador (DEM) em Ariquemes, Laerte Gomes (PSDB) em Ji-Paraná. Dos federais são cotados Leo Morais (Podemos) em Porto Velho e Lucio Mosquini (MDB) em Ouro Preto do Oeste.

Via Direta
***A população dos conjuntos habitacionais da capital está apavorada com o clima de insegurança *** Assaltos, roubos e venda de drogas escancarada foram denunciados a Comissão de Segurança da Assembléia Legislativa *** Na Câmara dos Deputados, o PSOL pediu uma CPI para investigar as milicias que brigam pelo poder com os cartéis nos morros do Rio de Janeiro *** Como se sabe, as milicias já atuam há quase uma década em solco carioca e estão se espalhando para outros estados e pouco são investigadas.


Escreva um comentário

Arquivos de colunas