porto velho - ro, 20 Março 2019 13:57:34

Carlos Sperança

coluna

Publicado: 01/01/2019 às 17h51min

A- A+

O compromisso brasileiro

A floresta amazônica, nas lendas e na literatura, assustou, encantou, seduziu e apaixonou quem a conheceu. Euclides da Cunha a chamou de..

A floresta amazônica, nas lendas e na literatura, assustou, encantou, seduziu e apaixonou quem a conheceu. Euclides da Cunha a chamou de “paraíso perdido” na coleção de ensaios iniciada pela imprensa em 1898. Meio século antes dele, os exploradores britânicos Henry Walter Bates e Alfred Russel Wallace a qualificaram como “floresta gloriosa”.

Com descobertas de mais maravilhas e milagres da biodiversidade encontrados a cada nova pesquisa, o paraíso ainda não foi achado em sua totalidade e a floresta, apesar de tanta exploração e desmatamento, está longe de perder a glória observada pelos naturalistas europeus.

Recompor um pouco do paraíso já perdido é o compromisso brasileiro de reflorestar 12 milhões de hectares até 2030 como parte do esforço para combater o aquecimento global. Destaque para o Plano Nacional de Recuperação da Vegetação Nativa e a plantação de 73 milhões de árvores em 300 mil hectares, que vem a ser o maior projeto atual de reflorestamento no mundo.

Se nenhum édito, proclamação ou decreto declarar o aquecimento uma lavagem cerebral de inimigos internos e externos e a globalização uma farsa marciana, é certo que providenciar o reflorestamento prometido é ponto de honra para a dignidade nacional.

……………………………..

Feliz 2019

É a última coluna do ano e por isto auguro um Feliz Ano Novo para todos os rondonienses, muito sucesso para o governador eleito Marcos Rocha (PSL) na sua missão de conduzir um estado com a saúde em colapso e a segurança pública num caos, que a gestão do prefeito Hildon Chaves (PSDB) deslanche de vez, que a nossa economia se recupere gerando emprego e renda.

Oposição rachada

No Congresso Nacional teremos dois grupos oposicionistas distintos a partir de fevereiro contra o novo presidente Jair Bolsonaro. De um lado,  PSB/PDT/PC do B, de outro o PT com o PSOL. A primeira coalizão é mais criteriosa, pois pode até votar favoravelmente as matérias de interesse nacional. Já, o PT e o PSOL foram uma dupla radical. Vão boicotar até a posse do novo presidente.

As cracolândias

Os prédios abandonados na capital se transformaram em cracolândias, em refúgios de viciados, mendigos e ladrões. A situação do centro histórico é lamentável. Até o reformado prédio do antigo Basa foi invadido. Os comerciantes do entorno do antigo Palácio Presidente Vargas, da sede da Unir e adjacências vivem um clima de terror. Legiões de zumbis perambulam a cidade como num filme de terror.

Baita igapó

Porto Velho deve começar 2019 com menos alagações do que nos dois anos anteriores e os méritos são da administração Hildon Chaves (PSDB) que investiu pesado na macrodrenagem e na limpeza dos canais e igarapés. No entanto, o auge da estação das chuvas acontece só em janeiro e com isto saberemos com mais certeza dos avanços neste quesito.

Uma temeridade

Sem base de sustentação na Assembleia Legislativa de Rondônia, o governador eleito Marcos Rocha (PSL) começa sua gestão neste 1º de janeiro, esperando apoio do Parlamento, sem o tradicional “toma lá, dá cá” que ocorreu no passado. Ocorre que no Legislativo rondoniense a banda toca com outro tambor e com o tempo ele vai entender isto. Os políticos matreiros estão à espreita.

Via Direta

*** Passado o Natal e na terça-feira, o Ano Novo, com a posse do governador Marcos Rocha neste dia 1º, todas as atenções estarão voltadas para a escolha da mesa Diretora da Assembleia Legislativa em fevereiro *** O comércio da capital festejou incremento nas vendas em 2019, comparados aos com índices de 2017 *** O ano termina com mais invasões nas áreas indígenas, parques nacionais e reservas biológicas em Rondônia *** Que 2019 seja um ano bom. Já basta Lula, Temer, Dilma, Aécio, Serra, etc.


Escreva um comentário

Arquivos de colunas