Porto Velho/RO, 19 Fevereiro 2020 08:52:08

CarlosSperança

coluna

Publicado: 19/02/2020 às 08h51min

A-A+

O desespero causado pelos incêndios na Amazônia

Do cisne ao boto O suíço BIS, considerado o “banco dos Bancos Centrais”, publicou há pouco um livro que será muito lido, não pela..

Do cisne ao boto

O suíço BIS, considerado o “banco dos Bancos Centrais”, publicou há pouco um livro que será muito lido, não pela qualidade literária ou por seu título poético (O cisne verde), mas pelo conteúdo explosivo: um cenário caótico para a economia mundial causado pelo descuido com o meio ambiente. Já não é mais a briga entre catastrofistas e negacionistas sobre um futuro de 30 anos. São danos já visíveis que levam à questão: é possível evitar que a piora do clima arrebente a economia global? 

O desespero causado pelos incêndios na Amazônia, Austrália e arredores de Hollywood, centro mundial do cinema, motivou o foco do Fórum Econômico de Davos, logo realimentado com novas tempestades, furacões e as chuvas no Sudeste brasileiro, com um passivo de destruição ainda em aberto.

O pesadelo que O Cisne Negro anuncia possível não é uma novidade para o Brasil: esperava-se um rio de dinheiro externo para todos os setores depois da vitória da agenda econômica dita liberal, mas a política ambiental enviesada o estancou.

O país despontava na Eco 92 como a salvação para o clima planetário, mas vinte anos depois já se tornara alvo de uma desconfiança hostil. Para superar a péssima imagem do país será preciso enfrentar o pesadelo do cisne negro com a alegria saudável do boto cor-de-rosa. Ou seja, pela floresta, povos e fauna amazônicos respeitados e protegidos.

…………………………………………………………

Taca-lhe o pau!

Bastou ser cogitado para ser o ungido do governador Marcos Rocha na disputa pela prefeitura de Porto Velho na eleição de outubro que o presidente da Sociedade de Portos e Hidrovias do Estado de Rondônia Amadeu Hermes dos Santos Cruz virou alvo de conspirações. Adversários tratam de pedir sua cabeça e de minar o prefeituravel. Nos bastidores se comenta que políticos da base aliada governista estão pedindo sua cabeça. Amadeu tem realizado um grande trabalho na autarquia dos portos.

Perdendo terreno

Enquanto que avenidas importantes na região do centro histórico de Porto Velho vão perdendo importância comercialmente, a Avenida Mamoré, na zona Leste, que corta vários bairros até atingir a avenida Calama,  situada em outra região de expansão, vai ganhando terreno e importância, se tornando uma das vias mais movimentadas da capital rondoniense. Em sua extensão é acesso a faculdades, no bairro JK e Lagoinha, e a novos blocos de prédios e conjuntos residenciais na região da Vila Planalto.

Setor chacareiro

Com o setor chacareiro de Porto Velho, no prolongamento das avenidas Amazonas, Raimundo Cantuária, Alexandre Guimarães já cortado e recortado em terrenos urbanos, haverá muito trabalho para a regularização fundiária da prefeitura de Porto Velho nas próximas gestões. Em toda cidade, com a expansão urbana, são mais de 100 mil propriedades a espera de escrituras públicas, emperrando financiamentos e prejudicando o comércio imobiliário.

A chiadeira

Mesmo com a chiadeira dos dirigentes das escolas de samba, a população de Porto Velho recebeu bem a decisão do governador Marcos Rocha (PSL) e do prefeito Hildon Chaves (PSDB) de não destinar recursos as escolas de samba no carnaval. Os tempos são bicudos e existem prioridades mais importantes para as esferas municipais e estaduais para serem atendidas. No mais, temos  a Banda do Vai Quem Quer que supre todas as necessidades carnavalescas dos foliões e outros blocos importantes já consolidados.

A violência

 O Complexo Habitacional Orgulho do Madeira e seu entorno, com mais de 20 mil habitantes se transformaram em reduto das facções criminosas de Porto Velho. As estatísticas  recentes demonstram que na região se concentra a maioria das ocorrências policiais dos finais e semana  e o que se constata é que coisa ficou fora de controle. É um território sem lei, onde as facções do tráfico armaram suas sedes disputando o espaço na base dos tiroteios e queima de arquivo.

 

Via Direta

*** Com a reabertura dos trabalhos na Câmara de Vereadores de Porto Velho, segue o exame da revisão do Plano Diretor da capital desenvolvido com audiências públicas desde o ano passado*** Já,  com relação a reabertura dos trabalhos da Assembleia Legislativa os parlamentares vão se debruçar em nova etapa da CPI que investiga as tarifas de energia  determinadas pela Aneel e praticadas pela Energisa*** As bancadas federais do Acre, Amazonas e Rondônia cobram das esferas federais  redução no preço das passagens aéreas em seus estados***As Lojas Havan, espalhadas em todo País, estão montando mais uma unidade em Porto Velho e em Manaus onde  já abriu as contratações de funcionários***Serão instaladas quatro lojas do grupo nos próximos anos no estado do Amazonas e pelo menos  mais duas em Rondônia.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas