porto velho - ro, 23 Março 2019 16:53:49

Carlos Sperança

coluna

Publicado: 07/11/2018 às 07h56min

A- A+

Otimismo que ainda hoje persiste na exploração ao arrepio da lei

Espaço para moderação Em seu relato de viagem sobre a Amazônia, o visconde francês Enrique Onffroi defendia que na região “a..

Espaço para moderação

Em seu relato de viagem sobre a Amazônia, o visconde francês Enrique Onffroi defendia que na região “a lavagem de ouro, a agricultura e o comércio são fontes inesgotáveis de riquezas”, otimismo que ainda hoje persiste na exploração ao arrepio da lei.

É fato que em condições de sustentabilidade muitos recursos naturais serão perenes. Descuidar dessas condições, porém, levará a um desastre cujo custo será pesado demais para os povos da região e toda a humanidade.

O presidente eleito Jair Bolsonaro tem sido sensível às vozes que preconizam a necessidade de não incorporar o Ministério do Meio Ambiente ao da Agricultura. Estava prevista a criação de vários superministérios e este seria um, mas o eleito demonstrou que por trás da imagem de intransigente há um político pesando os efeitos das ações governamentais.

Designar o juiz Sérgio Moro para o Ministério da Justiça com plenos poderes joga por terra o “ditador” que seus inimigos supunham e deixa isso ainda mais claro ao avisar que não porá um “xiita” no Ministério do Meio Ambiente. “Xiitas” é a expressão pela qual são conhecidos os radicais. Há espaço, portanto, para a moderação.

……………………………………………

Atenções voltadas

Passada a eleição, todas as atenções estão voltadas agora aos trabalhos do grupo de transição formada pelo governador eleito Marcos Rocha e sua posse no Centro Político e Administrativo em janeiro. A expectativa generalizada também se mantém com relação à formação do seu secretariado. Até agora guardado a sete chaves.

Com desgastes

Costumo dizer que o governador eleito começa a se desgastar – e pelo menos uns 20 por cento da sua popularidade já desidrata por aí – na formação do secretariado e na nomeação dos cargos comissionados. O cobertor é curto e não é possível atender a todos que trabalharam na campanha da base aliada. Quem se sente rejeitado já vira oposição no dia seguinte.

E o serpentário?

O embrião da oposição será formado a partir de janeiro com a posse de Marcos Rocha sob o clamor dos rejeitados e com os deputados estaduais que não conseguirem indicar parentes, amigos e compadres. O Legislativo tem funcionado como um verdadeiro serpentário, mas governadores como Ivo Cassol e Confúcio Moura souberam domesticar os repteis legislativos, invertendo o jogo.

Com gravações

Como se recorda, o então governador Ivo Cassol, para se livrar dos deputados chantagistas gravou as propostas indecorosas, tornou público o escândalo no Fantástico e escapou do impeachment. Confúcio já era quase um cassado quando estourou uma operação policial, colocando os adversários de joelho. Fica aí a dica para Marcos Rocha, gravar as propostas indecorosas.

Um pé frio

Seguem as especulações para o corpo de secretariado para o governo Marcos Rocha. Para a Comunicação, é tida como certa a indicação do publicitário Junior Gonçalves, que já é ruim para vender batatas e tomates, fico imaginando para uma função que exige experiência no campo político. Como se sabe, Junior é o autor da campanha publicitária da parte do Gonçalves que esta em concordata. Um baita pé frio.

Via Direta

*** A estação das chuvas recém começou e já temos muitos bairros com ruas alagadas na capital*** O inverno amazônico é, de fato, um terror para os alcaides na região *** O governador tampão Daniel Pereira (PSB) herdou a bomba relógio herdada de Confúcio gerada pela crise e a consequente queda de arrecadação, mas não deixou a peteca cair *** E que segure a peteca até entregar a bananosa para Marcos Rocha *** Seguem demissões em órgãos públicos para ajustar as contas com a LRF.       


Escreva um comentário

Arquivos de colunas