Porto Velho/RO, 11 Dezembro 2019 18:30:14

    CarlosSperança

    coluna

    Publicado: 02/12/2019 às 08h38min | Atualizado 02/12/2019 às 08h58min

    A-A+

    Paulo Guedes estava disposto a pôr abaixo a Zona Franca de Manaus

    O caldeirão de Brasília  Antes mesmo de assumir, o ministro Paulo Guedes estava disposto a pôr abaixo a Zona Franca de Manaus...

    O caldeirão de Brasília 

    Antes mesmo de assumir, o ministro Paulo Guedes estava disposto a pôr abaixo a Zona Franca de Manaus. Descobriu, porém, que governos democráticos não recebem, via votação majoritária, um cheque em branco para fazer o que bem entendem. Quando a medida adotada por um governo sem prévio entendimento com as instâncias normativas da Nação é arbitrária, maluca ou ditatorial, o debate parlamentar, a vigilância do Ministério Público e a mediação judicial reestabelecem o primado da lei.

    No caso da ZF, a proposta de Guedes era no mínimo inadequada. Recebeu, assim, a imediata repulsa dos líderes políticos e empresariais da região. Depois, o ardiloso Plano Dubai, com as dançarinas da modernidade e a flauta mágica da sedução de uma cidade oriental que esbanja riqueza e prosperidade, foi também entendido pelas lideranças amazônicas como um “plano B” para a intenção de pôr abaixo a ZF.

    O governo parecia ter fechado um pacto com a ZF quando a crítica do governo Bolsonaro de que a China não queria “comprar do Brasil, mas comprar o Brasil” se transformou em um surto de amores pela nação oriental. Para as lideranças regionais, o Brasil se ofereceu à China como o prato principal e a ZF será a entrada. É só paranoia ou algo realmente danoso à ZF está novamente em preparo no caldeirão de Brasília?

    ……………………………………………….

    Censo 2020

     O Censo 2020 esta ameaçado pelo corte de verbas do governo federal com seu orçamento contingenciado. A se confirmar a noticia, o IBGE se verá obrigado a trabalhar novamente com estimativas demográficas para servir de base na distribuição do bolo tributário a ser distribuido aos municípios, do chamado Fundo Participação dos Municípios, o que deverá acarretar enorme gritaria aos municípios prejudicados.

    Em Rondônia

    No estado de Rondônia em algumas regiões ocorre um esvaziamento populacional em pequenas cidades do Cone Sul rondoniense, Zona da Mata, Região Central e Vale do Jamari. Havendo o censo 2020 elas já seriam naturalmente prejudicadas na distribuição do FPM, no entanto as cidades que cresceram, cito os casos de Porto Velho e Vilhena, ficam sem o respaldo dos numeros oficiais para aumentar suas participações no bolo tributário.

    Mesa de negociações

    Alguns grupos políticos na capital já estão na mesa das negociações visando entendimentos para as eleições municipais de 2020. Querem deixar tudo pronto para começar a campanha já em meados do ano que vem. Ao mesmo tempo os candidatos de ponteira estão em dificuldades para acomodar aliados em suas chapas de postulantes a vereança limitada a 32 por partido. Mauro Nazif (PSB), por exemplo, já pensa em acomodar o excedente em siglas amiguinhas.

    Melhor ano

    O prefeito Hildon Chaves (PSDB) esta ratificando seu ano mais produtivo frente à municipalidade de Porto Velho, inclusive tratando-se da ornamentação natalina, melhor projetada nesta temporada. Mesmo melhorando a performance o alcaide foi alvo de dois pedidos de impeachment durante o ano visando tumultuar sua gestão. A oposição não tem maioria no legislativo para cassar Chaves, mas faz os pedidos para promover desgastes.

    Redução salarial

    A classe politica do Chile impressionou a humanidade com seu Congresso Nacional reduzindo pela metade os vencimentos dos seus congresistas diante da sua crise. No Brasil seria uma atitude impensavel, tanto em Brasilia, onde os políticos ano a ano têm aumentado os seus salários e recursos do fundo partidário, ou nas assembléias legislativas e câmaras municipais onde os parlamentares são extremamente famintos por diárias e reajustes salariais.

    Via Direta

     *** Vizinhos em ebulição: No Paraguai um senador (que já foi cassado por isto) pediu a matança de 100 mil brasileiros desmatadores, na Bolívia ninguém se entende com a indiarada de Morales*** Em Ji-Paraná, o ex-vereador Isau (MDB) assume ares de candidato na disputa pelo Palácio Urupá*** E se tornou uma noiva apetitosa, aquela que todos querem traçar*** Ainda muitas queixas sobre o black Friday na capital. Muito lojista trapaceou nos preços*** Os pretendentes ao Prédio do Relógio estão trocando idéias sobre a sucessão*** Os entendimentos podem reduzir o numero de postulantes no ano que vem*** Os jornalistas intensificam a discussão em torno da medida provisória que extingue o registro de jornalistas, prejudicando ma categoria*** E um governador da região adotou todas as cartinhas das criancinhas pobrinhas pedindo presentes pelo Correio. Cada um com seu marketing! 

     


    Deixe o seu comentário

    sobre Carlos Sperança

    Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

    Arquivos de colunas