Porto Velho/RO, 02 Março 2024 16:15:19

Carlos Sperança

coluna

Publicado: 29/11/2023 às 12h25min

A- A+

Rondônia chegou ao topo no índice de feminicidios

Confira a coluna

Profecias apocalípticas

Sempre em demorada construção, o país real confronta a arrogante propaganda oficial que se refere a uma ilusória “reconstrução”. Riscos sobram no horizonte nacional depois que a imagem do Brasil chegou ao pior momento, acusado de preparar o apocalipse climático destruindo a Amazônia.

A ótica externa sobre o país deixou de ser tão dramática por conta da esperança que sempre acontece no início de todos os governos, mas qualquer escorregada quanto ao cumprimento de metas internacionais nos quesitos meio ambiente e clima pode ser desastrosa. Quando a imagem externa do Brasil era melhor, o país chegou a ter a sétima maior economia do mundo, entre 2010 e 2014. No entanto, em 2020 foi apontada como a 12ª economia, uma queda que fez em frangalhos a autoestima nacional.

Há uma “profecia” questionável segundo a qual a próxima epidemia assustadora que trará terror ao mundo virá como consequência dos crimes ambientais cometidos na Amazônia, agravados pelo descontrole do clima.

O futuro costuma enterrar profecias apocalípticas, mas não se pode fugir ao cenário causa-efeito: a destruição ambiental piora a desnutrição, que significa predisposição a qualquer doença, como cólera, hepatite e rotaviroses. Antes de pensar em voltar a ser a sétima economia do mundo é preciso assegurar que a saúde do povo brasileiro não tenha perspectivas tão assustadoras.

…………………………………………………………………………………

Uma síntese

O Estado de Rondônia chegou ao topo no índice de feminicidios, mantendo a liderança nacional nesta modalidade de violência, com números realmente assustadores.  Como explicar esta situação num dos três estados com maior percentual de evangélicos no País e onde se vê nos presídios seus inquilinos se declarando evangélicos? Se constata, pela fantástica migração dos anos 70 e 80, que Rondônia é uma síntese do Brasil. Foi colonizada por paranaenses, gaúchos, catarinenses, baianos, capixabas, mineiros, paraenses, amazonenses, acreanos, além dos nordestinos com grande influência em Porto Velho. Na violência, refletimos uma síntese brasileira.

A manutenção

O deputado estadual Pedro Fernandes, eleito pelo PTB cujo partido se uniu ao Patriota, cobrou um planejamento do DER e do governo do Estado no tocante a manutenção das estradas no período do inverno amazônico, a estação das chuvas que já está começando em algumas regiões do estado. Ele lembrou que todo o ano a economia rondoniense é prejudicada pela precariedade causada pelas chuvas, cujos atoleiros impedem o transporte do leite, da produção agrícola, da entrega dos bovinos aos frigoríficos, etc. De fato, a cobrança do Pedrão tem tudo a ver. Todo ano pagamos o preço pela falta de planejamento.

Mãos abanando

Territorialista como as onças, o senador Jaime Bagatolli (PL-RO) aumenta sua presença na capital, onde estão concentrados dois terços do eleitorado rondoniense e por aqui festejou na sua passagem por Porto Velho a vitória da sua bancada de advogados contra os tucanos que desejavam sua pele para fazer tamborim. Salvo da degola do seu mandato, ele amplia os contatos em Porto Velho, mas até agora, depois de quase um ano de mandato não destinou uma ruela para a capital e sempre aparece por aqui de mãos abanando. Se quiser o governo do estado em 2026 vai precisar contribuir com mais obras e menos papo furado.

Cargos federais

O senador Confúcio Moura (MDB-RO), hoje considerado um dos principais caciques do MDB nacional, está nadando de braçadas na indicação de cargos federais no estado de Rondônia. Nas próximas semanas, vai indicar o ex-secretário de Saúde e ex-deputado estadual Willians Pimentel para um cargo relevante no Ministério da Saúde visando investir mais neste setor no estado. El Carecon vai reforçando as paliçadas do partido e a sua mais recente conquista foi retirar o deputado estadual Ismael Crispin que já tinha deixado o PSB e se filiando ao União Brasil.

A dobradinha

O governador Marcos Rocha e seu vice Sergio Gonçalves tiveram bons motivos para comemorar as recentes vitórias na justiça. Se safaram da cassação e com isto seus projetos para 2026, com Rocha disputando o Senado em dobradinha com o atual vice Gonçalves ao governo do estado, podem rolar de vento em popa. Mesmo com projetos diferentes do aliado Hildon Chaves que também pretende disputar o governo estadual, ninguém pode reclamar de Rocha, tem cumprido todos os compromissos com os aliados na coalizão formada na peleja de 2024 quando ele virou a peleja em cima de Marcos Rogério.

Via Direta

*** A atual legislatura da Assembleia Legislativa conclui as comemorações alusivas a promulgação dos 40 anos da Constituição de Rondônia pouco lembrando dos dois principais  artífices e protagonistas, que foi o presidente da Constituinte, José Bianco e o relator Amizael Gomes da Silva *** Numa legislatura  onde também brilharam  os parlamentares Amir Lando e Tomás Correia anda vivos, fortes e atuantes  que estiveram na sessão solene *** Trocando de saco para mala, projeta-se uma grande aliança em Ji-Paraná para eleger o deputado estadual Laerte Gomes (PSD) ao Palácio Urupá *** Laerte tem experiência de Executivo, já que foi também prefeito em Alvorada do Oeste.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas